escpub.jpg

Os professores e educadores da Escola Pública portuguesa e os responsáveis pela condução política do Ministério da Educação, na sequência de um atribulado processo conflitual que teve visível expressão pública, encontram-se agora em posições muito difíceis de conciliar.

Seriamente preocupados com toda essa situação e com a forma distorcida como ela tem vindo a ser apresentada aos portugueses, quer pelo Governo, quer por diversos órgão de comunicação social; sobretudo, muito apreensivos relativamente ao futuro da nossa Escola Pública — ou seja, da escola de todos nós –, um grupo de cidadãos (professores, educadores e encarregados de educação), no quadro de uma reunião promovida pela Comissão de Defesa da Escola Pública, decidiu elaborar o documento que aqui se anexa e que visa contribuir para um melhor esclarecimento da opinião pública.

Trata-se de uma carta aberta a ser distribuída aos encarregados de educação, no início do 3º período, por altura das suas reuniões com os directores de turma.

Em defesa da Escola Pública,
subscrevem-se aqui

Manuel Baptista
Isabel Guerreiro
Luis Mateus
Paula Montez
Joaquim Pagarete
Carmelinda Pereira