Fenprof ameaça novas formas de protesto se ministra não recuar até sexta-feira

A Fenprof já reagiu às declarações da ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, e garantiu que “ se não houver um recuo até sexta-feira serão desencadeadas novas formas de protesto”.
O secretário-geral da federação, Mário Nogueira, disse mesmo que este prazo “é a última oportunidade” dada à ministra “para provar se merece ou não estar à frente do Ministério”, ainda que tenha sido peremptório: “Na nossa opinião não merece”.
Para a Fenprof, só haverá acordo se o processo for suspenso este ano lectivo e aplicado a título experimental em 2008/2009. “Qualquer documento de natureza política que seja construído a partir da reunião de sexta-feira com o Ministério da Educação só terá a concordância da Fenprof se for inequívoca a suspensão da avaliação de desempenho este ano lectivo e que nenhum professor seja prejudicado por isso”, afirmou o secretário-geral.

Na minha modesta opinião, a escalada verbal, em público, nesta matéria não adianta a ninguém. Estas coisas não se resolvem com o chamado bate-boca, a ver quem ameaça mais forte.

O que está em jogo é demasiado sério para se resolver na base do bater no peito e tentar amedrontar e tentar fazer perder a face ao adversário.

Em muitos casos, a coisa faz ricochete.

Ainda ontem iam todos tão bem e hoje já começaram a disparatar dos dois lados.

E o problema das deadlines muito rígidas é que elas chegam e depois…