Este protocolo (prot.pdf)!!!

O interessante é que desde que se falou mais acesamente neste assunto e se insistiu no pedido de publicitação do documento, houve quem desaparecesse da discussão subitamente.

Mais estranho é que o documento seja uma coisa quase mirífica no MAP, em cujas reuniões é lido em voz alta e dificilmente mostrado aos interessados, mesmo quando o assunto é o financiamento do movimento (parece que houve um encontro em Marco de Canavezes sobre o tema, o tal em que o verbo foi lido e mostrado de longe para os incréus se converterem à bondade da fé e dos seus apóstolos).

Embora a falta de tempo empurre para mais logo uma leitura pessoal do documento gostaria de deixar aqui algo que foi escrito por quem conhece a estória de tudo isto e a razão da circulação restrita do documento:

Talvez não seja o seu blogue o meio, supostamente, propício à discussão e esclarecimento deste assunto; acontece, porém, que caberia à estrutura CONFAP a divulgação do documento, tal como que lhe deveria ser, na generalidade, imanente a transparência.

Perante esta verificação, é legítimo esclarecer neste fórum aquilo que já há muito deveria ter sido conhecido por intervenção da Confap – trata-se de uma questão de interesse público.

Eu também concordo, mais que não seja em nome de todas as famílais que terão interesse nas actividades da Confap, quiçá mesmo para mais convictamente as apoiarem.