E vai de dar um trincadela na net, que o síndrome de privação já me começava a fazer ver tudo desfocado. Ou então é do calor e de alguns esfuziantes líquidos com verdejante gasoso a refrescar um bife de atum de cebolada.

E logo num mês de Agosto em que a silly season se confunde com a normal actividade política com destaque para o Ministério da Educação, desde os quase 2500 recursos de professores que não tiveram provimento como titulares ou que decidiam protestar mesmo tendo conseguido o meu provimento (a minha vénia para esses 121 colegas) até um Ministério que afirma não receber aquilo que lhe não convém, como o violento parecer da Provedoria de Justiça sobre o concurso em causa. É verdade que os correios têm um comportamento estranho, pois eu só recebi a 7 de Agosto um ofício da DRELVT que me era dirigido, enquanto o mesmo chegou à minha Escola no dia 23 de Julho.

De qualquer modo, espera-se que o Ministério de Educação saiba reagir a estes percalços com mais poder de encaixe e fair-play. Afinal, os seus responsáveos políticos já deveriam estar habituados a estas desautorizações, tantas têm sido, desde os tribunais comuns ao Tribunal Constitucional, passando agora pela Provedoria de Justiça.

E mandar fechar escolas e jardins de infância em pleno Agosto, desmentindo a própria palavra dada, também não é coisa bonita de se ver…