Continuando na silly season opinativa sobre a Educação o investigador (de quê?) João Miranda contribui com o seu disparate pessoal para o peditório. Para ele, cada escola deveria poder ter o seu sistema próprio de avaliação.

Em nome da liberdade, em especial da tal liberdade de escolha, João Miranda dá a receita: os bons alunos iriam para as boas escolas com exames e os maus para as más escolas sem exames.

Isto é um diaparate a tantos níveis, que num sábado de manhã nem estou para aí virado.

Só me interrogo se João Miranda andou numa boa escola, daquelas com exames, para opinador e teórico da Educação.

Parece-me que este vai ser um Verão penoso nesta matéria. De repente a Educação tornou-se uma espécie de futebol para quem não tem outro assunto de conversa. Um tipo tem uma ideia que acha muito gira, diz ou escreve uns disparates a esse propósito e já está. Parece que há mesmo quem receba dinheiro por isto.