Perto de 107 mil alunos do 9º ano realizaram hoje o exame de Língua Portuguesa, uma prova que não testou os seus conhecimentos relativamente a “Os Lusíadas”, de Luís Camões, e à obra de Gil Vicente, que ocuparam grande parte das suas aulas durante este ano lectivo. “Os professores gastam muito tempo a dar ‘Os Lusíadas’ e Gil Vicente, que depois não saíram no exame. Devia ter aparecido pelo menos uma pergunta sobre uma das duas obras literárias”, defendeu Paulo Feytor Pinto, presidente da APP.
O responsável da associação criticou ainda a parte da prova destinada a testar a elaboração de respostas de desenvolvimento, considerando que a tarefa foi demasiadamente facilitada aos estudantes. “A escrita de respostas de desenvolvimento foi muito facilitada, com instruções que equivalem praticamente a fazer o texto pelos alunos. As instruções referem exactamente o que os alunos têm de saber e aquilo que se pretendia avaliar”, indicou Paulo Feytor Pinto.
Ainda assim, a APP considera que a prova do 9º ano “é melhor” do que o exame nacional do secundário, realizado ontem, que mereceu críticas duras por parte dos professores, por não avaliar a maior parte dos objectivos do programa e descurar, em particular, os conhecimentos de gramática. “No exame do 9º ano, a gramática não foi deixada de fora. Nessa perspectiva, é sem dúvida melhor [do que a prova do 12º]”, considerou o presidente da associação. (Público)

Quanto a esta apreciação do Exame de Língua Portuguesa para os alunos do 9º ano concordo com duas afirmações do presidente da APP – realmente é inconcebível não se avaliar os conhecimentos sobre as obras de leitura obrigatória e as perguntas são de um facilidade confrangedora na 1ª parte da prova – mas discordo de outras duas quando ele declara que neste exame a gramática foi objecto de avaliação (apesar de 20 pontos em 100, os conteúdos aavaliados são quase residuais) e que este exame é superior em qualidade ao do 12º ano. Só se for na qualidade de inflaccionar os resultados finais, porque, como escreevi e repito, 90% da prova está ao nível de um 6º ano.