Por que razão só agora quebra o silêncio em relação às acusações de que tem sido alvo?
(…)
Não percebo a escalada sobre mim: é objectivamente uma campanha difamatória, que ataca esta casa e estas pessoas para chegar a mim. Ou qualquer outro objectivo que eu não tenha descortinado, seja escolas , professores ou conselhos executivos. E isso eu não posso tolerar: quebro o silêncio porque é a minha obrigação defendê-los.Quem está a fazer esta campanha?Quem faz a campanha não me compete a mim apurar. Nós temos tudo o que tem saído na comunicação social, nos blogues, ofícios, em tomadas de posição, em artigos de opinião… Esta campanha tem três fases. O processo disciplinar, iniciado a partir do momento em que é nomeado um instrutor, esteve durante quinze dias em segredo como qualquer outro processo disciplinar. Só este ano, na área da DREN, foram já abertos 778 processos: o do professor Charrua é um deles.
(Margarida Moreira ao DN)

Apenas três notas muito curtas:

  1. O facto de não perceber o desagrado é já de si um bom sinal de falta de perspectiva.
  2. Eles estão a arquivar tudo, portanto, estou feito. E como eu, muitos outros.
  3. Caramba, 778 processos só este ano! E ainda se admira que a acusem de… [censurado].