pol1.jpgpolb.jpgSão dois livros que em meados dos anos 90 nos deram a conhecer como no farol destas coisas políticas – os bons e novos States – estava a começar a funcionar a coisa política.

No livro do improvável casal Matalin/Carville colocam-se à vista de todos alguns dos meandros das campanhas políticas em que os fins justificam todos os meios e em que as estratégias comunicacionais entre o terrorismo político e as operações de antecipação se tornaram cada vez mais sofisticadas (e caras).

No livro de Johnson e Broder desmontam-se os mecanismos do funcionamento do que muitos chamam o Sistema, mas depois não especificam exactamente o que é e como funciona. O pretexto foi a tentativa de Hillary Clinton erguer um sistema universal de cuidados médicos nos EUA e como isso foi sendo bloqueado e, por fim, atirado borda fora da agenda política (até o peculiar republicano Schwarzenegger ter recuperado a ideia na Califórnia).

A sua leitura atenta talvez permitisse – com uma década de atraso – perceber como as estratégias políticas e comunicacionais funcionam hoje e como, depois de testadas além-Atlântico, passaram para a Europa, após segundo teste na Grã-Bretanha blairista.

Anúncios