No intervalo para almoço, na TSF (notícia a esta hora ainda sem link) ouvi Carlos Reis, o comissário da Conferência Internacional sobre a Língua Portuguesa, fazer uma bela lista das asneiras que envolvem o ensino do Português, desde as consequências da primazia dos ensino técnico-profissionais sobre as Humanidades ao descalabro de muitos manuais, que apresentam uma mera sucessão de recortes de textos, quantas vezes desconexos e inadequados à abordagem dos conteúdos, não esquecendo ainda que o ensino da Língua Portuguesa não passa por uma mecânica transmissão de conhecimentos sobre o funcionamento da língua.