Sábado, 30 de Dezembro, 2006


Com um pouco de tempo nas mãos, comecei a substituir alguns links por ícones, para melhor percepção das coisas, assim como comecei a organizar parte das ligações por categorias, agrupando órgãos de informação, ferramentas, leituras, etc.

Com jeitinho no início do 2º período já fiz metade do trabalho. Entretanto, aceitam-se sugestões para outras ligações úteis, seja de blogues ou outros espaços sobre educação, como de sites institucionais ou informativos. O das revistas, por exemplo, ainda está em construção e há muito por adicionar.

Se entretanto acharem que a coisa fica por demais folclórica, é favor avisar.

Este excelente artigo, claro e conciso, de José Fernandes e Fernandes, no Expresso de hoje sobre a necessidade de salvaguardar a dignidade (e especificidade) das profissões que nos tempos que correm políticos curtos e breves (esta parte é minha e não do autor do artigo) atacam em nome do corporativismo e dos privilégios. De certa forma percebo-os, pois verdadeira profissão foram poucos os que a tiveram, pelo que dificilmente as poderão compreender.

Quem puder leia tudo, porque aqui é pouco visível. De qualquer modo fica aqui a entrada:

O conflito entre o Estado e as profissões, em vários sectores da vida pública, parece-me resultar de dois factores distintos. Primeiro, a identificação abusiva de objectivos gerais com interesses específicos de burocracias dirigentes, reclamando-se “virtuosamente” do bem público e da defesa dos seus profissionais. Depois, desconfiança ou temor das profissões, que algum discurso oficial vai evidenciando.

And the rest only gets better.

Sei que sou repetitivo no argumento e na desconfiança, mas acho que ajudou bastante à publicação integral deste artigo o facto de JFF ser o Director da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, entre outros títulos.