ainda ontem eu escrevi sobre o assunto, pois as nuvens começavam a formar-se, e não é que hoje o ministro António Costa aparece no Diário de Notícias a afirmar o seguinte:

Isto significa pôr as câmaras a escolher os professores do ensino básico?
Significa que, do pré-escolar ao final do básico, deve progressivamente ser assumida pelas autarquias a responsabilidade, que já têm ao nível das instalações do primeiro ciclo e do pré-escolar. Devem estender-se ao segundo e ao terceiro ciclo relativamente à gestão e à componente dos recursos humanos. Esta é uma matéria que se deve discutir com as autarquias e com os sindicatos.

Meus caros amigos, se isto seguir em frente, o melhor é começar a considerar seriamente a possibilidade de mudar de vida. Depois disto só mesmo a barbárie e voltarmos todos às cavernas, com cuidado para que nenhum Valentim passe por perto de moca em punho…

Mas por outro lado será divertido, mas tão divertido, ver depois as Associações de Pais (já nem falo nos Conselhos Executivos) dominadas por certas tendências políticas e ideologias a tentar dialogar com vereadores e técnicos autárquicos de inclinação oposta.

Eu sei que a Lei das Finanças Locais precisa de ser compensada em termos de retórica política para apaziguar os ânimos mas, por favor, favorzinho, que desta vez, para bem de todos nós, seja mesmo só retórica. Por uma vez eu prometo que não faço críticas por não implementarem uma medida anunciada…