Nada como a área da Educação para se provar uma coisa e o seu contrário. Se fossem alguns especialistas educacionais a estudarem o sistema solar a teoria geocêntrica ainda conseguiria ser provada em simultâneo com a heliocêntrica. Plutão seria planeta, planetóide, planeta-anão ou planeta-gigante conforme os dias da semana e sempre com justificação “científica” a corroborar cada uma das teses em confronto. Até conseguiriam provar que a água é húmida e seca ao mesmo tempo e que o ar é gasoso mas igualmente sólido, quando não está em estado pastoso.

É o relativismo e a maleabilidade metodológica a serem levados aos extremos mais elásticos da inverosimilhança.

Há um par de dias o Público divulgava um estudo norte-americano sobre as vantagens das tarefas extra-escolares? Hoje a Visão brinda-nos com duas sugestões quase a escaldar das tipografias dos States a garantir exactamente o contrário.

Depois, como podemos levar seja o que for a sério?

Paulo Guinote