Ensino Profissional


CURSOS VOCACIONAIS ENSINO BÁSICO- Candidaturas Aprovadas – 2014/2015

Rede de Cursos de Ensino Secundário Recorrente 2014/2015

Rede de Cursos de Educação e Formação de Adultos 2014-2015

Rede de Cursos Profissionais – 2014/2015

As turmas constantes do mapa de rede aprovado só são consideradas em definitivo após a respetiva validação na plataforma SIGO


Português Para Falantes de Outras Línguas (PPT)
Oferta formativa de setembro a dezembro de 2014

Soldadores, mecânicos de carros, operadores de máquinas ou técnicos para a indústria automóvel. Estas são algumas das 23 áreas de prioridade elevada das escolas no ensino profissional no próximo ano letivo.
.

O foco está centrado maioritariamente em formar trabalhadores para a indústria e para aquilo que pode ser exportado.

O presidente da Agência Nacional para a Qualificação do Ensino Profissional (ANQEP) – agência do Governo que coordena esta área – Gonçalo Xufre, diz que estas prioridades para o ensino profissional foram definidas com base em estudos e depois de ouvir as necessidades das empresas.

Para além de formar alunos para trabalhar na indústria, o ensino profissional deve também apostar em áreas como os técnicos especialistas em vinhos ou que trabalhem com idosos, bem como técnicos comerciais e de vendas.

Eu já perdi o roadshow. Uma pena…

Quanto ao mais… é uma forma de subsidiar indirectamente uma série de empresas e empreendedores, mas já se tinha percebido que era esse o objectivo…

 

… para atrair alunos ao engano.

O Bloco de Esquerda vai propor, no Parlamento, uma alteração legislativa para acabar com a obrigatoriedade de os alunos do ensino profissional terem de realizar exames a disciplinas que não frequentaram durante o curso.

… porque, afinal, sempre são mais longos do que os relvados.

Decreto-Lei n.º 43/2014

Cria os cursos técnicos superiores profissionais, como formação superior de curta duração nãoconferente de grau..
,
O preâmbulo é daquelas peças auto-justificativas divertidas, destinadas a explicar que o que aí vem é igual ao que já existe, só que abrindo mais a porta para o financiamento destinado à formação ir para as empresas.
.
Curta
.
A formação é superior, mas não confere graus, apenas minutos. Valoriza-se a investimento feito, mas muda-se o nome à coisa, pois sempre circula novo papel timbrado.
.
Isto não é nenhum preconceito contra este tipo de formação, apenas a constatação de que já existia nos seus aspectos essenciais e que isto é uma manobra de diversão.

… quando sair de governante.

Ensino profissional é “arma fundamental” para combater desemprego – Nuno Crato

Decreto-Lei n.º 91/2013. D.R. n.º 131, Série I de 2013-07-10

Ministério da Educação e Ciência

Procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, que estabelece os princípios orientadores da organização e da gestão dos currículos dos ensinos básico e secundário, da avaliação dos conhecimentos a adquirir e das capacidades a desenvolver pelos alunos e do processo de desenvolvimento do currículo dos ensinos básico e secundário.

 

Ministro diz que haverá controlo dos alunos que fazem formação nas empresas

O Ministro da Educação admitiu hoje que será  preciso estar atento para que as empresas não se aproveitem da proposta  governamental que defende que os alunos dos cursos profissionais poderão  passar o dobro das horas em formação nas empresas.

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 919 outros seguidores