Desvinculação Total


3_blind_mice

Ao ouvir o actual PM na “universidade de Verão” dos candidatos laranjinhas a futuros PM ou coisa pior, fiquei com a perfeita certeza de ele ter atingido aquele estado de solipsismo galopante que há uns 5 anos atingiu o “engenheiro” e que resulta de um delírio de grandeza que cega a possibilidade de auto-crítica e afasta qualquer possibilidade de análise racional de qualquer situação, a partir de um ponto de vista divergente ao da vulgata transformada em credo.

O pior é que, neste anti-PREC sem 25 de Novembro, na presidência está alguém que – como nos tempos em que precipitou um crash bolsista à nossa escala com a conversa do gato por lebre – se preocupa mais em limpar (?) a sua pobre imagem em episódios muito duvidosos do que em agir sobre uma realidade que se deteriora dia a dia, por muito que alguém diga (pela enementésima vez em meia dúzia de anos) que a recessão já acabou, só não se sabe é quando começa outra coisa.

E na fatia maior da oposição damos de fronhas com dois tipos que têm escassas qualidades, e quase nenhuma coincidente, e os defeitos que sabemos: um é um totózero à esquerda e o outro é uma emanação da situação que nos conduziu até aqui (ainda se lembram de quando ele era o número dois ou já se esqueceram?) e que o apoia sem problema algum, ao mesmo tempo que não se envergonha de nada do que de pior teve o seu séquito para nos oferecer.

Se há alternativas?

Sim, temos para aí meia dúzia de facções (ex-)bloquistas mais o márinho em busca de encostanço ao PS e a Festa do Avante sempre linda e multicultural, pelas quintas do Seixal.

Phosga-se, pá, que, por comparação, por momentos quase acreditei na competência da selecção do bento nacional.

crazy

 

… apenas se pode dizer que…

crazy lady

Fica aqui e é de um rigorismo verdadeiramente assombroso: ManualAplicKeyforSchoolsRWL-1.

Alguns excertos deliciosos… o primeiro que nos fará andar a tirar medidas às salas e outro que me deixa algo espantado. Só podem escrever a lápis? Isso não é… menos adequado a um teste que se pretende… imune a… coisas?

Ahhh… não esquecer o guião de todas as palavrinhas que devem ser ditas… para o caso de sermos todos muito estúpidos.

KeyForSchools

(…)KeyForSchools1

Este ano entrou em vigor a vocação forçada dos maus alunos aos 13 anos.

Para o anos teremos as vocações à saída do 1º ciclo, para os alunos cujas famílias já tenham escolhido a sua futura profissão. Dá-se-lhe 20 horas de Matemáticas, Ciências e Tecnologias, 6 horas de Português e outras 6 distribuídas pelas restantes disciplinas, que é para a acriança ficar imersa na sua vocação e não ter quaisquer dúvidas sobre o que deseja ser.

Sei que pode ser ao contrário, mas a aposta nas STEM é a menina dos olhos do Rodrigo, do Nuno e de todos os desenvolvimentistas e piresdelima que colocam a criança no centro das suas atenções.

A bem das Empresas e da Pátria!

 

… nestes governantes de pacotilha.

O próximo quadro comunitário de apoio, o Portugal 2020, arrancará uma reorientação dos fundos para o sector privado, nomeadamente para as PME. Esta inversão segundo, o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Castro Almeida, trará resistências de vários sectores da sociedade, mas o governante disse estar preparado para resistir. Se vai conseguir vencê-los afirmou não saber, mas pede ajuda ao comentador Camilo Lourenço.

 

Há de vários tipos e configurações, quase nunca aconselháveis a gente de hábitos higiénicos.

(falo daquela coisa da necessidade de haver acordos de regimes para que os interesses se mantenham sempre repartidos pelos interessados e também pelos conexos, não é apenas o Centrão, alarga-se a todo o Pãntano).

  • Uma variedade é a daqueles que, por exemplo, convivem na imprensa dita plural porque tem vários tons de cinzento acastanhado, como numa dada página da Visão em que o recadeiro Marques Mendes e o americano Luís Amado debitam prosa semanal tão peganhenta que nas últimas edições da revista (de que sou assinante desde que me lembro, nada de processos, ok?) aquela parte me surge tão colada quanto uma centerfold dos anos 70 depois de passar pelas mãos de adolescente não alternativo.
  • Mas há outra variedade menos mortiça e mesmo mais divertida que é a dos apologistas do compromisso que são adeptos das políticas e dos políticos que não admitiam compromissos, do tipo Dama de Ferro e mais além. Não há nada mais caricato do que ver um liberal engomadinho (daqueles que têm êxtases em sucessão a cada vez que revêem um discurso da Margareta ou do Ronaldo, o americano, ou agora do Ted Cruz, o filibustar de fralda contra o Obamacare) defendendo o imperativo patriótico do compromisso para o interesse nacional.

Do cruzamento destas tendências nasceu o JCEspada tardio.

… pelo menos desde as 11.30.

Pacóvia

No Barreiro, anda pelas ruas.

Pacóvia1

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 942 outros seguidores