Campanha Eleitoral


… e muita conversa fiada, a começar pelo “diálogo com os professores” (que belo historial vocelências têm nesse particular) e pela “adaptabilidade” das escolas públicas (traduza-se por municipalização e parcerias com entidades privadas).

O Contrato de Confiança do PS é, na área da Educação, um perigoso (mas expectável) vazio. De ideias, de propostas concretas, de tudo.

Amanhã, em apenas 1800 caracteres, para o Diário Rconómico, sintetizo a síntese e quase me sobra espaço.

PSContraConf

(…)

PSContraConf2

Documento completo com as 80 medias fofinhas: PSContratodeConfianca.

Governo repõe 20% dos cortes salariais na função pública em 2015

A partir de 2016, novas reposições dos salários estão dependentes da capacidade do Estado manter a sua massa salarial total através da redução dos efectivos.

Governo afasta descida das indemnizações por despedimento ilegal

Executivo convenceu a troika.

… se fazem campanhas eleitorais.

“Se for para tirar ainda mais, prefiro que não me aumentem”

Deolinda vai a pé para a fábrica, porque não tem para o autocarro. Na confecção de Adelaide, há operárias que “fogem” ao almoço para esconder o facto de não terem para comer. Aumentar o salário mínimo vai ajudá-las? Sim, desde que não seja moeda de troca para mais precarização, respondem Farinha Rodrigues, Carvalho da Silva e Pedro Adão e Silva.
.

E olhem que – mea culpa – sei do que escrevo, pois ainda acreditei que existisse um pinguinho de vergonha no Pedro.

Não havia.

Líder da bancada do PSD garante que não haverá mais cortes de salários e pensões

A garantia foi deixada por Luís Montenegro no encerramento das jornadas parlamentares em Viseu.
.

O que lhe vão chamar?

Aumentos regressivos?

Re-escalonamento salarial?

Recalibragem da cremalheira?

Sócrates vai entrar na campanha para as europeias

A promessa, tenho quase a certeza, não passará de treta para FNE assinar e arvorar uma vitória de Pirro, que será destruída pelos mecanismos concretos para que não passe verdadeiramente à prática.

Entretanto, como em outros momentos, o MEC ganha tempo e finge ter resolvido um problema.

Ministro da Educação quer vinculação “semi-automática” de professores contratados

Norma está a ser negociada com os sindicatos e poderá entrar em vigor no ano lectivo 2015/2016, seguindo-se aos processos de vinculação extraordinários.

 

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 945 outros seguidores