Quarta-feira, 3 de Julho, 2013


Oasis, Go Let It Out

Golpe militar no Egipto: Morsi deposto e Constituição suspensa

General Sissi explicou, numa declaração ao país, que a Lei Fundamental, de teor islamista, vai ser mudada e que haverá novas eleições presidenciais.

palhacos

É fabulosa a criatividade para perorar sobre o mesmo, dizendo uma coisa, outra, o seu contrário, o seu inverso e reverso, mas mantendo sempre que se confirma o que antes disseram.

Aqui.

É de ontem e é sobre prazos de realização de provas de equivalência à frequência e afixação das respetivas pautas.

Para além de quase impedir os dois dias úteis para inscrição após afixação das pautas das avaliações internas (em muitas escolas começaram hoje a ser afixadas e, numa larga maioria ainda não estão) é de realçar o preâmbulo que justifica esta alteração:

“Não tendo as escolas realizado todas as reuniões de avaliação final do 3.º período dos ensinos básico e secundário dentro dos períodos regularmente previstos, com implicações no cumprimento de procedimentos e prazos de inscrição, realização e afixação de classificações de provas de equivalência à frequência e exames, impõe-se proceder ao ajustamento do calendário definido no Despacho n.º 2162 -A/2013, de 5 de fevereiro, com as alterações introduzidas pelos Despachos n.s 4400/2013, de 2 de março, e 8056 -A/2013, de 20 de junho.”

Isto é, fizeram greve, perturbaram, agora amanhem-se!!!

Quanto custam os ex?

 

 
ex

ramiroflex dixit

 

Já enterrou o mestre.

Passos recebe Portas na residência oficial

Começaram as negociações para segurar a coligação.

Palhaços

Clown2

IMG_1317IMG_1356IMG_1357IMG_1350

Clown2

Portas fez a adiafa.

Na ar arenga-se sobre grafitos, afixações e picotagem.

do acto ou efeito de gravar ou tornar gravoso?

As cartas de demissão.

Ou não?

Caso o Spielberg esteja ocupado, há sempre o J. J. Abrams.

 

O único problema é saber quantas saudações ainda serão necessárias até chegar alguém capaz à governação, que não seja ex-isto ou aspirante a aquilo, todo enroladinho na teia dos interesses passados ou por vir.

… típica de um qualquer consultor-asssessor saído de uma tertúlia de ex-bloggers.

Todos anos a mesma romaria.

Uma coisa é a necessidade de aprimorar este ou aquele critério, outra a emenda tardia de disparates como alguns critérios do exame de Português do 6º ano, quando os classificadores já tinham as grelhas praticamente todas preenchidas. Recebi ainda outro mail, de quem conhece bem o processo que está a decorrer:

Para Física-Química A chegou ontem uma dezena de folhas com orientações de correção, em maior número do que os próprios critérios.
No caso de  Português do 9º, consoante a sala em que o classificador participou na reunião de supervisão, foi dada uma orientação diferente e algumas em sentido completamente oposto. Isto no mesmo Agrupamento de Exames.

Após a reunião uns classificadores receberam esclarecimentos e adendas aos critérios e outros continuam sem receber nada.

Assim se trata da garantia de igualdade e justiça do processo.
.

Apesar de, na Norma 2 dos Exames e Provas Finais de Ciclo, estar explícito que

“Qualquer telemóvel ou outro meio de comunicação móvel que seja detetado na posse de um aluno, quer esteja ligado ou desligado, determina a anulação da prova pelo diretor da escola.”

e que

“Durante o 3.º período o diretor da escola deve comunicar por escrito aos encarregados de educação ou aos alunos, quando maiores, a necessidade de estes não serem portadores de telemóveis (ou outro equipamento proibido) no dia de realização das provas e exames, tendo em conta a possibilidade de inadvertidamente se esquecerem destes equipamentos na sua posse durante a realização das provas e exames, o que, obrigatoriamente, leva à sua anulação e, no caso do ensino básico, à retenção do aluno no ano de escolaridade em que se encontra.”

Ora, o que sucedeu 2ª feira, pelas 19h07m foi que as escolas receberam o email que se segue:

Data: 1 de Julho de 2013 às 19:07
Assunto: Urgente – Agrupamento de Exames do xxxxxx

Boa tarde,

Serve este email para divulgar informação recentemente recebida do JNE:

Os alunos, do 2º e 3º ciclos, cujas provas tenham sido anuladas por motivos relacionados com telemóveis poderão realizar as respectivas provas na 2ª chamada.

Com os melhores cumprimentos,

xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx
Agrupamento de Exames do xxxxxxx

Importa referir que às 19h07m da véspera de realização de uma prova final do ensino básico (Português) é impossível convocar um secretariado de exames e vigilantes. Já para não falar na informação aos alunos aos quais tenha sido anulada a prova desta disciplina (1ª fase). Porém, se um aluno nestas circunstâncias tivesse visto a sua prova (Matemática – 1ª fase) anulada por posse de telemóvel, já poderá ser avisado atempadamente pois a prova da 2ª fase apenas se realiza na 5ª feira.

Assim sendo:
- para quê a exigência aos alunos de assinatura de declaração de não possuírem telemóvel durante a realização das provas?
- para que serve a Norma 2 sobre provas finais?
- onde está a igualdade de tratamento dos alunos?
- qual o fundamento para se revogar uma decisão de anulação de prova, baseada no estrito cumprimento de uma norma do júri nacional de exames?

(remetente que solicitou anonimato)

tirar fotocópias.

Página seguinte »

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 832 outros seguidores