Domingo, 3 de Junho, 2012


Bruce Springsteen, The Rising

Um entrevistado num qualquer festival, para uma qualquer televisão, que dissesse que o concerto que acabou de ver tinha sido uma porcaria.

Amanhã, em correndo bem, fotos.

Aos 34 e já tem saudades do corpo dos 20? Isso nem eu…

E gosto do esperimentar

Venho lutando contra meu peso a vida inteira e agora encontrei a resposta para o meu problema.
Aos 34 anos eu tive uma revelação, eu percebi que meu corpo já não era o mesmo daquele dos meus 20 aninhos, e fiquei assustada com a imagem que eu via no espelho e imaginei como eu ficaria aos 40?

Já estava a muito tempo tentando emagrecer, mas sempre com muitas dificuldades e sem resultados.
Isso acaba com qualquer pessoa!

Eu descobri uma receita para emagrecimento, um produto usado por celebridades americanas e resolvi esperimentar, perdi 5kg em 2 semanas. Depois de consumi-lo por um mês perdi 9kg.
Nunca fiquei tão feliz com meu corpo.

Pra quem estiver precisando so esperimentar, nao paga nada. *****************

É justo esperar pelo menos 25.000 assinaturas?

Petição Encontro para impedir o despedimento de 25 mil docentes

 

Garanto. Por isso, amanhã ainda tenho de pagar?

Portugueses trabalharam até hoje só para pagar impostos

tráfego e alunos

Não dedico, mas, visto que no fundo essa parece ser a questão em questão, concedo: é um nadinha excessivo comparar José Sócrates com Miguel Relvas. Além das alhadas e mentirinhas em que ambos são pródigos, o primeiro arruinou conscientemente o país, enquanto, até ver, o segundo limita-se a perturbar a recuperação do país e a arruinar o Governo a que inacreditavelmente continua a pertencer. E esta evidência, insisto sem esperança, não é um frete a Miguel Relvas, de cuja figura pública, não sei se já disse, não gosto nada. Da figura privada não faço ideia nem quero fazer, ainda que a muitos isso pareça inacreditável. Tanto, que não acreditam.

Alberto Gonçalves, Diário de Notícias, 3 de Junho de 2012

“Esta dívida das autarquias, a existir, é do País inteiro”

O presidente da Associação Nacional de Municípios, Fernando Ruas, diz em entrevista que a dívida das autarquias é “justa”.

O que se vê – e não se vê mal – é o espectáculo de umas dúzias de ladrões que se passeiam tranquilamente por Lisboa e almoçam nos restaurantes do costume em toda a paz de espírito e sob protecção da polícia. Foram (ou continuam a ser) notabilidades do regime e o pior que lhes pode suceder (se alguma coisa, alguma vez, lhes suceder) não irá com certeza além de um interminável processo com dezenas de advogados de respeito e prestígio e um número interminável de recursos, em que qualquer teólogo rapidamente se perderia.

Vasco Pulido Valente, Público, 3 de Junho de 2012

No livro ‘A Classe Média: Ascensão e Declínio’ (FFMS, 2012), Elísio Estanque mostra como as pessoas em ascensão social pensam já com os modelos de referência da classe a que aspiram e que, quando não podem pagar os empréstimos que as colocavam na ilusão da classe no degrau acima, julgam que é passageiro e recorrem a “tácticas de dissimulação e disfarce” que roçam a “patologia social”. Só quando falha a espiral de empréstimos pedem assistência envergonhadamente. Alguns, corajosos, dão a cara, mas a TV tem dado conta de vítimas da sua auto-ilusão, falando com voz disfarçada e cara escondida ou comendo na “sopa dos pobres” virados para a parede. Vêm do sector privado e dum sector público inflacionado pelo poder político. É uma classe média imaginada, que esconde a nova pobreza de familiares e vizinhos. Mas como chamar-lhe pobres, se tantos mantêm segunda casa, jipe ou ginásio?

Eduardo Cintra Torres, Correio da Manhã, 3 de Junho de 2012

Eu traduzo… fricassé de peixe espada branco e rolinhos do dito com banana e sementes de sésamo.

Um problema… abusaram um pouquito do sal…

O verde, estava bem fresquinho…

Trabalho de António Borges no Goldman Sachs é um mistério, diz jornalista

O jornalista do “Le Monde” Marc Roche estabelece um paralelo entre as políticas de austeridade na Europa e a presença de “veteranos” do Goldman Sachs na política europeia.

Seja como for é óptimo a mandar baixar os salários dos outros.

Alunos com “comportamentos desviantes” ganham concurso internacional e vão a Paris

Este título – caramba! – parece do velho Jornal do Incrível.

Relvas é o ministro mais poderoso deste Governo não só pelo domínio do aparelho do PSD mas também pelo apoio que recebe da maçonaria. O recente, chamemos-lhe “incidente”, teve dois méritos: diminuir esse poder, e clarificar a importância da liberdade individual e de opinião como algo de sagrado em democracia. Há muita gente, neste jornal e fora dele, que comunga somente a fraternidade entre mulheres e homens livres, autónomos e e solidária(o)s, sem ritos, mas nem por isso menos forte. Esta “fraternidade”, quando ameaçada, também sabe defender-se.

Paulo Trigo Pereira, Público, 3 de Junho de 2012, p. 48.

Passos Coelho apaga os fogos de Relvas com 9 páginas para a P2 do Público e uma chamada de primeira página. Mais fotografias a gosto.

Mais consensual do que Sócrates, que virava por completo as costas aos jornais que o afrontavam, o actual PM prefere (ou assim o aconselham) negociar uma trégua sem grandes alaridos.

O eterno retorno do direito ao sucesso

Não tem link, mas é uma adaptação muito fiel de um post de há alguns dias…

Mas então, este ano, não seria só competência e rigor?

Ou, afinal, a incompetência é semelhante à anterior, mesmo com cortes em cima de cortes?

Prejuízos das empresas do Estado duplicam no primeiro trimestre

Perdas alcançaram 316,4 milhões de euros, o que significou uma subida de 105% face ao mesmo período de 2011. E o endividamento já alcançou os 30,6 mil milhões de euros.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 893 outros seguidores