O ex-secretário de Estado da Energia afirmou hoje [6ª feira] no Parlamento que considera que a actual situação do sector eléctrico é “dramática” e que há aspectos dos contratos com a EDP que são “uma trapalhada”.

“A situação é dramática, acho que temos problemas graves e temos de atacar isto”, referiu Henrique Gomes, que está presente numa audição na Comissão Parlamentar de Economia. O ex-governante, que voltou a trabalhar na REN, referiu que esses problemas irão reflectir-se na factura eléctrica que é paga pelos consumidores.

Henrique Gomes considera que no Governo anterior houve “exageros” e deu como exemplo o projecto do Mobi.e, ligado ao carro eléctrico, dizendo que é “interessante mas prematuro”, porque por enquanto “não há horizonte à vista”.

O antigo secretário de Estado referiu também que as empresas do sector eléctrico “estão mto bem organizadas e dominam a imprensa, os consultores, os advogados”. “Temos problemas para resolver e o Estado assume-se ou não se assume”.

“Estando numa situação excepcional, o Estado deveria chamar à negociação para rever os CMEC (custos de manutenção de equilíbrio contratual, celebrados com a EDP), até porque há muitas situações que não estão na lei mas sim nos contratos propriamente ditos.” Referindo-se aos cálculos que têm de ser feitos com base nos contratos para calcular as rendas anuais, Henrique Gomes referiu que “tudo aquilo é uma trapalhada e é sempre no mesmo sentido”, salientou o mesmo responsável.

Não deixa de ser curioso que, dois dias depois de publicada, esta notícia ainda só tenha duas partilhas no FB, quando qualquer outra treta consegue dezenas.

E estas declarações são bem mais importantes do que as os novos amores de qualquer estrela telenovelesca…

About these ads