Segunda-feira, 23 de Abril, 2012


Macy Gray, Sexual Revolution

Governo avança com regras para rescisões na Função Pública

Faz lembrar o outro quando assinou com a Isabelita. Só falta este fazer um artigo no Público a defender as virtudes…

João Proença: “Não me arrependo de ter assinado o acordo”

UGT confiante no cumprimento do acordo após reunião com Governo

Enquanto não está disponível a reportagem que está agora a passar na TVI.

1ª Parte:

2ª Parte:

3ª Parte:

Greve de professores chega ao 13º dia e grupo mantém ocupação na AL

Cerca de um milhão de estudantes estão sem aulas desde o dia 11 de abril.
Categoria reivindica cumprimento de acordo por parte do governo estadual.

Incorporam-se os fundos de pensões da banca para os devolver em forma de compra de créditos mal parados junto do próprio Estado?

Dinheiro dos fundos de pensões da banca servirá para comprar créditos dos bancos a entidades públicas pelo seu valor nominal, pagando caros créditos com pouco valor de mercado.

A opção do Governo de comprar aos bancos três mil milhões de euros de créditos concedidos às autarquias e outras entidades públicas finta as regras europeias para a valorização dos activos que pagaram a transferência dos fundos de pensões da banca. Isto porque os créditos serão comprados pelo seu valor nominal, sem ajustar aos riscos de incumprimento que ditariam preços de mercado bem mais baixos.

Deve ser a isto que o actual Presidente da República chama boa moeda.

O truque parece retirado do manual do engenheiro para as trambiquices habituais.

E depois os subsídios (de férias, de desemprego, de inserção) é que coiso e tal, prejudicam as contas…

Os salgados, ulriches e não me lembro dos outros agradecem, aplaudem e para a semana exigirão outra coisa qualquer.

No fundo é a associação Coelho, Relvas & Gaspar a pagar os favores feitos pela banca ao engenheiro

 

Via São Carneiro.

Professor, as suas aulas passam muito depressa!

(o que é obra, depois de 90 minutos sobre os advérbios)

(eu não acho bem o mesmo, mas é verdade que vou envelhecendo, apesar do meu ar esguio, atlético e saudável)

:lol:

Geir Haarde foi o único político a ir a tribunal devido à crise

Antigo primeiro-ministro da Islândia absolvido de má gestão do país

Pronto, podem recolher os foguetes. Nem sequer tinha feito post a antecipar, tamanha a certeza da montanha gerar pequenos calhaus.

Eu também não posso abdicar dos meus subsídios, até porque não peço nada por conta do que não fiz.

A Soares da Costa não pode abdicar da indemnização do TGV

O interesse nacional só se define em relação a perda de direitos pelos cidadãos comuns?

Os relvas & gaspares só têm voz grossa para os pequenos?

Os factos, já de si inusitados no estado falhado da Madeira:

O edifício da antiga secretaria regional do Equipamento Social da Madeira, onde funcionam actualmente outros serviços do governo regional madeirense, está a ser desde esta manhã alvo de buscas por elementos do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).

As reacções são, na melhor das hipóteses, cómicas:

O Governo Regional da Madeira reagiu esta segunda-feira às buscas efetuadas no edifício da ex-secretaria do Equipamento Social da Madeira questionando a escolha da GNR para proceder às diligências e acusando o DCIAP de “falta de discrição” e de causar “alarme social”.

Esta operação, diz ainda o comunicado, é “passível de análise política no momento que decorre”. O Governo Regional “questiona a utilização da Guarda Republicana para o efeito, dadas as suas limitadas competências no território autónomo, bem como a existência de outras instituições policiais com provas dadas neste domínio”.

Já sabem, se algum dia tiverem problemas com a Justiça, nada como protestar pelo facto de não ser tudo fieto ás escondidas e com os agentes policiais que acharem mais adequados.

Só me espanta não se terem queixado por não terem sido avisados, à maneira felgueirense.

Com o objetivo de contestar esta “revisão da estrutura curricular”, a FENPROF promove no dia 3 de Maio, em Lisboa, na Avenida 5 de Outubro (frente ao MEC) uma TRIBUNA PÚBLICA por uma verdadeira revisão curricular que corresponda às necessidades do ensino, da sociedade e dos cidadãos. Nesta tribuna serão feitos depoimentos por professores, por representantes das associações profissionais e científicas, por deputados e por representantes de outras entidades ou personalidades convidadas para o efeito.

No dia seguinte, 4 de Maio, em protesto contra esta revisão curricular e exigindo a sua suspensão, terão lugar CONCENTRAÇÕES DE PROFESSORES E EDUCADORES, ao final da tarde, junto às direções regionais de Educação situadas no Porto, Coimbra, Lisboa, Évora e Faro, ações que poderão estender-se, ainda, às regiões autónomas.

Em breve, a FENPROF disponibilizará mais informação a propósito destas duas importantes iniciativas dos docentes contra uma revisão da estrutura curricular que, como se afirmou inicialmente, não é mais do que um elemento de uma armadilha montada pelo MEC para eliminar professores nas escolas.

O Secretariado Nacional da FENPROF
23/04/2012

Mas no fundo não é mais porque, como dizem certos colegas, a culpa é da classe que temos, sendo que parecem esquecer-se que os representantes também são o espelho dos representados, pelo que o argumento é reversível.

E antes que me peçam alternativas, digo desde já que acho muitas justas, equilibradas e adequadamente inócuas estas manifestações de repúdio.

Estou tão entusiasmado com elas quanto com as ameaças de rasgar a lingerie social por parte do João Proença.

Cada um tem o seu papel na coreografia geral da irrelevância. O meu é o de chato de serviço que escreve umas tretas num blogue a que ninguém liga. Nada de novo a oeste, leste, norte, sul e colaterais.

Mas, já sei, algo teria de ser feito. É um Tribuna Pública,. por oposição a Privada. que é mais recatada. teremos advogados e juízes, testemunhas de acusação e réus in absentia.

Regressámos ás manifestações & vigílias que dão créditos para a progressão sindical, umas declarações televisivas e mais uns protestos que servem para cumprir o calendário da violenta abstenção, digo, contestação. Só falta um representante de uma delegação grega.

Mais um sítio onde a ideologia suplanta o estudo:

Charter schools ‘harmful’ says study

The Government has reaffirmed its keenness to implement charter schools despite a damning study which says they may do more harm than good to the under-achievers the Government is targeting.

Under a National-Act agreement, charter schools will be trialled in areas where education achievement is low – South Auckland, Christchurch East, and possibly Wellington.

A group of education experts at Massey University has investigated similar models to the proposed charter schools – Sweden’s “free schools”, England’s “academies”, and privatised schools in the United States.

Convener Professor Emeritus Ivan Snook said the group used similar sources of evidence to the Government but came to different conclusions.

Mais dados aqui.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 833 outros seguidores