Quarta-feira, 8 de Junho, 2011


Sonic Youth, Kool Thing

 

Tudo fabuloso, mas especialmente recomendável a parte da procuradora que vai apresentar queixa contra um treinador de baseball por conduta obscena perante crianças… a partir dos 4’30. Vale mesmo a pena… Já passou na SICN, mas…

We’re Here, We’re Queer, Get Newsed to It – The…, posted with vodpod

Anthony Weiner Addresses Twitter Scandal – The …, posted with vodpod

Desabafo chegado por mail há um par de dias que, se calhar, faz agora mais sentido do que nunca:

.

Depois de uma reunião que, essencialmente, serviu para relembrar os colegas para a existência de METAS… cá estou eu…

Triste!

Desiludida com o dito Sistema e com os Ditos colegas….

Os professores da escola onde me encontro a leccionar têm sido sistematicamente bombardeados com emails, recados dos coordenadores de grupo e por último pelos coordenadores de departamento para não se esquecerem das METAS!

Atenção! A Escola assumiu a compromisso do cumprimentos de METAS!!!!! …”Colegas, no 7º ano, em X turmas, apenas podem reprovar Y alunos…. Não se esqueçam das METAS!…”

Sim??? E????  Mas que raio… Então?

Depois de fazermos os ditos testes com perguntas de caras, em que só o facto do aluno escrever correctamente o seu nome completo (Uiiii… Não é fácil), com direito a número (“..é mesmo preciso Stora??? É que eu não sei qual é o meu….”) e turma (Ganda maluca! Já estás a abusar!…) já têm praticamente positiva….

Como é que AINDA há o descaramento de exigir a passagem daqueles que são MESMO MAUS?????

Ainda ouvi de uma colega: “É o que temos de fazer para preservar os nossos postos de trabalho… Não fiques assim…”

Desde que iniciei a minha prática lectiva e tenho verificado um progressivo decréscimo do nível de exigência…. As questões “têm” que ser cada vez mais “chapadas” e como diria uma colega: “Questões de caras!!!”

Os alunos faltam a testes, não têm justificação médica ou do Encarregado de Educação mas os professores devem fazer teste por senão “ainda arranjam problemas!!”

E é assim que vai a Educação no nosso País, como o colega deve de certo bem conhecer….

Mas é que estou mesmo desiludida…  Será que serei das poucas a pensar assim??? É que no mega giga departamento, poucos foram aqueles que se manifestaram mas as METAS têm mesmo de ser cumpridas…

E se não forem??  Vem um bicho papão e levamos todos tau-tau no bumbum???

Dizem as más línguas que as escolas estão todas a cumprir aquilo que o Ministério lhes exigiu… Será??? Porque não dizer um BASTA a esta educação para o facilitismo!

Será que os colegas dormem todos descansados??? Eu não!….  Mas devia…

De que vale existir Formação Cívica se a seguir permitimos que os alunos andem aos gritos pelos corredores aos empurrões a chamarem nomes feios uns aos outros??? – “Ah… é melhor não me meter para não arranjar confusão… eles nem são meus alunos!”

Educamos para a desresponsabilização, facilitismo, irresponsabilidade, má educação e má formação! Sim, porque esses, no fim de tudo vão passar!!! E com muita facilidade!!!!

M. C.

Li ontem. Numa acta que me enviaram. A negação de tudo o que faz sentido numa Educação que pretenda humanizar e não apenas rentabilizar em nome da eficácia.

Em stand-by.

Que há candidatos a giga-directores sabemos. Até porque há quem faça por fazer saber.

Que futuro ME aceitará tamanho disparate? Qual o limite para o delírio concentracionário?

Caro Paulo

Está a provocar polémica uma acção de formação creditada do Centro de Formação Minerva, de Coimbra, que está a ser proposta aos professores de História (grupos 200 e 400) sobre o Holocausto. O cronograma desta acção, aqui, prevê a realização de sessões numa 6ª feira, até à meia-noite, no sábado seguinte, todo o dia e, pasme-se, no domingo também! Ou seja, os professores ficam sem fim-de-semana, ainda para mais numa altura coincidente com o final do ano lectivo. Houve diversos professores que protestaram, tal como o SPRC, que tomou posição exigindo a alteração do calendário, mas parece que a Direcção do Centro de Formação está renitente em aceder. Acresce que não houve qualquer outra acção específica para estes grupos de recrutamento, pelo que os professores que não queiram ser penalizados pela não realização de acções de formação gratuitas e oferecidas pelo seu centro terão de se inscrever.

Envio esta informação a que poderás dar a divulgação que entenderes, pela urgência e pertinência do tema. Enquanto tratam das burocracias eleitorais e institucionais e não há novo governo, talvez seja importante estarmos atentos a estas coisas, no que elas significam de abuso e desprezo pelos professores. E de abertura de precedentes para outras ainda piores.

Abraço

António Duarte

… comparando com o PS que vai ter de escolher entre o Assis e o Seguro para atravessar o deserto e andar de braço dado com a malta suada da Esquerda, Avenida acima, Avenida abaixo.

Felgueiras ou Facebook, qual a arma mais irrelevante?

Eu sei que podia – deveria? – fingir que não tinha lido a crónica de Santana Castilho na penúltima página do Público de hoje.

Mas li.

E o conceito ocorreu-me.

Agora já posso ser apedrejado.

Mal por mal, vou-me habituando.

  • Tentar simplificar tarefas comuns e antecipar prazos.
  • Ajudar colegas, em especial os que parecem mais vulneráveis.
  • Dizer as coisas tal como são vistas e pensadas objectivamente, em tempo útil.

Em especial quando não se aspira a qualquer sinal exterior certificado de excelência, parece que irrita quem o não faz, mas pretende ser.

Se isto é enigmático?

Quero lá saber, para mim é moderadamente terapêutico e também tenho direito a isso.

As piores.

Arranjem uma vida… Algo para se ocuparem…

É azar.

Anthony Weiner and the ‘How Can You Be So Stupid?’ Question

Others have eloquently discussed whether Anthony Weiner should resign (no, say Mike Papantonio and Andrew Sullivan, and they’ve convinced me), or whether lying about sex necessarily reveals anything about one’s character (nope, says Rick Hertzberg, who made me rethink the character issue).

Classroom Bullies

(…)

In state education there is a kind of social obligation for a teacher to belong to a union. The most ardent union supporters among teachers belong to the National Union of Teachers (NUT). They tend to be very loud in the staff room, forcing others to toe the line. They push the mantra of evil senior management exploiting staff, and bully younger teachers to buy into it. The idea of holding colleagues to account or requiring high standards of teaching is not on their agenda. Good teachers keep their heads down, ignore the fact that they are paid the same or considerably less than the worst teachers, and get on with the job.

Caro Paulo

Está a provocar polémica uma acção de formação creditada do Centro de Formação Minerva, de Coimbra, que está a ser proposta aos professores de História (grupos 200 e 400) sobre o Holocausto. O cronograma desta acção, aqui, prevê a realização de sessões numa 6ª feira, até à meia-noite, no sábado seguinte, todo o dia e, pasme-se, no domingo também! Ou seja, os professores ficam sem fim-de-semana, ainda para mais numa altura coincidente com o final do ano lectivo. Houve diversos professores que protestaram, tal como o SPRC, que tomou posição exigindo a alteração do calendário, mas parece que a Direcção do Centro de Formação está renitente em aceder. Acresce que não houve qualquer outra acção específica para estes grupos de recrutamento, pelo que os professores que não queiram ser penalizados pela não realização de acções de formação gratuitas e oferecidas pelo seu centro terão de se inscrever.

Envio esta informação a que poderás dar a divulgação que entenderes, pela urgência e pertinência do tema. Enquanto tratam das burocracias eleitorais e institucionais e não há novo governo, talvez seja importante estarmos atentos a estas coisas, no que elas significam de abuso e desprezo pelos professores. .

Abraço

A. D.

Mas olhem que o António tem um belo tronco… pelo menos é o que o elemento feminino do staff do Umbigo para a apreciação de masculinidades me enviou em briefing… quanto à elecção dispensei a análise.

Congressista americano admite ter enviado foto obscena a uma mulher

(…)

Numa conferência de imprensa com centenas de pessoas, Weiner reconheceu – em lágrimas – que enviou a fotografia em questão (uma imagem de si próprio com uma erecção por debaixo da roupa interior) a uma jovem de Seattle e que mentiu quando declarou anteriormente aos media que tinha sido vítima do ataque de um hacker.

“Assumo a plena responsabilidade pelas minhas acções”, declarou o congressista democrata, que reconheceu ter mantido “várias relações inapropriadas” através do Facebook e de outras redes sociais com um total de seis mulheres. “Nunca as conheci pessoalmente, não tivemos sexo. Apenas enviámos fotografias uns aos outros”, afirmou.

… de ir-se embora e deixar a coisa numa espécie de gestão.

Governo de gestão deve começar a aplicar acordo da troika, diz Barroso

Jiro Taniguchi, O Homem que Caminha

 

É muito deserto. Maior ainda, com toda a areia comprada com dinheiro alheio.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 835 outros seguidores